Maratona de Bloquinhos

Eu sempre menosprezei carnaval. Na minha cabeça era uma épocazinha escrota que os brasileiros tinham mania de celebrar. Mesmo assim, em 2011 eu fui até a cidade do samba e me permiti à uma bagunça genial. Depois disso, me fechei para esse evento. Até esse ano. 2015 abriu as portas da minha vida para os bloquinhos, o pré carnaval, a festa insana das ruas.

Descobri nas ruas que carnaval é para quem está afim de se permitir - seja a uma folga da rotina pesada e estressante ou a uma farra sem hora para acabar só para evitar os problemas da vida. Me embalei nos passos de dança, nos pulos ao som da batida vindos principalmente de quem passou o dia inteiro trabalhando de pé, me apaixonei pelos movimentos. A verdade é que brasileiro adora uma bagunça sim, cabelo molhado, roupa curta, feriado e música alta com cachaça no meio. Adora porque é bom. Adora porque a vida cobra demais e é bom curtir o momento, só para variar um pouco dessa vida de viver pensando sempre no amanhã. Foda-se o amanhã, me entende? Carnaval é isso. A mágica do evento está justamente no quanto você pode se permitir, se você está disposto a dançar, cantar e se divertir ao som de uma banda que, honestamente, durante o dia a dia nem lhe agrada tanto assim. 

Carnaval significa poder ser quem você quiser ser, independente do quão ridículo você possa parecer. Por isso, aprecie os bloquinhos, se misture, faça o que você tiver que fazer, dance de forma ridícula, beba se você gostar, se embale como eu me embalei. Deixa que o futuro te espera amanhã, você pode viver o momento pelo menos até enquanto o bloco durar.

The dark side of the: morar sozinha

Faz cerca de três meses que eu saí da casa do meu pai e decidi morar sozinha. Com o tempo, você acaba percebendo que não dá para exigir certas coisas ou reivindicar uma liberdade de espaço quando a casa não é sua e você não paga pela sua estadia nela. Foi em um desses problemas familiares que acabei me desentendendo com o meu pai e me dei um prazo para sair e virar dona da minha vida.

Em um mês e meio eu arrumei um emprego, procurei um apartamento e ainda me virei para comprar toda a mobília. Nessas horas foi que eu dei graças a nossa senhora do cartão de crédito que nunca me deixou passar do limite e "sujar" o meu nome na praça. Dei uma sorte danada com a black friday e consegui montar o meu apartamento com os itens básicos de sobrevivência. Nós costumamos dizer que é difícil achar algo que esteja dentro dos nossos orçamentos, mas é só porque acreditamos que vamos sair de casa para um lugar incrível com localização excelente. Infelizmente essa é uma parte que as pessoas se esquecem de dizer: não funciona assim. Eu moro num apartamento kitnet- o famoso quarto e sala - super espaçoso, com divisória de quartos e banheiro separado, no centro da minha cidade. Isso foi sorte. É preciso visitar inúmeros apartamentos até encontrar um no qual você se identifique. É caro morar sozinha. Em alguns momentos é preciso trabalhar o dobro, vender folgas, dormir menos, fazer bicos extras. O número de contas, honestamente parece cada vez maior, e seu relacionamento com o banco vira um fiasco.

Mas há conforto, há liberdade. Sua casa, suas coisas, suas regras. O preço de uma vida independente é alto, se você se dispor a pagar. Ninguém avisa que, se você não comprar, arrumar, lavar, limpar, essas coisas não serão feitas sozinhas. Se você não paga pela sua internet, a wifi do seu vizinho não será liberada para você. Você adquiri responsabilidades inevitáveis. Não se pode largar o emprego quando der na telha, porque o seu aluguel no fim do mês não será esquecido ou pago sozinho caso você o faça, independente da sua desilusão com a vida adulta. Não se tem duas férias anuais. Não se pode fingir que está doente para ficar dormindo até mais tarde, sem consequências. A dor de cabeça da rotina te deixa e te busca na porta do trabalho. O dinheiro demora a aparecer, mas vai embora com rapidez entre um código de barras e outro. 

Por outro lado, você passa a valorizar o que rende do teu esforço mensal. A satisfação de chegar em casa - na sua casa - e fazer o que você estiver com vontade é gloriosa. Você aproveita mais as suas folgas. As suas horas vagas se tornam preciosas. Você para de gastar dinheiro com tanta coisa inútil e começa a se perguntar se você realmente quer ou precisa daquilo para viver. O amadurecimento invade a sua vida. Você se torna responsável pelos seus atos e mais cuidadoso com os mesmos. Você aprende a se tornar mais leve, mesmo levando uma rotina sempre tão pesada. E apesar de todo o lado negro de morar sozinha, as coisas ruins não superam as boas.

OOTD: Royal Blazer

Tô para postar isso tem dias, mas gente, eu caí de uma escada e tô toda na merda, give me a fucking break. O outfit de hoje é com o blazer que eu recebi da parceira do blog, Acessórios para Meninas, no comecinho desse mês e que fiquei apaixonada. Quem me conhece sabe que eu sou louca por blazers e que tava há tempos querendo algo azul royal para o meu guarda-roupa. Fiz uma combinação simples, para o destaque ser da sobreposição e não das outras peças - também pensei nessa escolha como algo para um barzinho ou até mesmo mais sofisticadinho e cheio desses mimimis que cês adoram. E bom, o acessório principal é o Monego lindo que cês já tão acostumadas de ver por aqui, não é? Sem mais delongas, espero que gostem.

Blusa: Renner / Legging: Lojinha Local / Bolsa Envelope: Renner / Blazer: Acessórios Para Meninas

Farinha que seca


Eu trabalho em uma loja de produtos naturais e, com uma certa frequência, eu recebo clientes que estão em busca da milagrosa "farinha que seca a barriga". Algumas dessas pessoas definitivamente secaram alguns quilos do bom senso, outras precisam desesperadamente perder alguns da preguiça. Os padrões tem se extremado: ou se é fitness, ou se é sedentário. Ou se está em forma, ou não.
Acho que eu gostaria de responder que a farinha que seca, seca também a sua vontade de curtir uma fossa de nutella com morango, e também a vontade de comemorar e se refrescar nesse calor de quarenta infernos com uma cervejinha gelada. Pode ser que ela seque sua liberdade, ou que a falta dela seque todas as outras vertentes saudáveis da sua vida. Quem foi que disse que barriga seca é a tendência desse verão? E quem foi que disse que não é?
A farinha que seca, é a mesma que te suga, que te tira a fome, que te acorrenta. Será mesmo que ela vai secar alguma coisa se você ficar sentado esperando algum efeito? E se secar, será mesmo que vai te proporcionar todas as coisas que você almeja? A farinha que seca, seca também a coragem, a força de vontade; mas ao mesmo tempo, ela transborda o comodismo, a falsa esperança de uma mudança fácil, a burrice de acreditar que duas colheres de sopa ao dia podem mudar uma vida inteira.
Gostaria que as pessoas viessem até a loja e buscassem pela farinha que preenche, não de gordura, mas de força de vontade para que seja possível se olhar no espelho e enxergar a maneira certa de si mesmo. Sem padrões. Digam adeus as farinhas que secam, as cápsulas que sugam. Comecem a procurar pela farinha que preenche, e busquem esta principalmente dentro de si mesmos.

TWWD - Saia Longa

Esse é o primeiro The Way We Dress do ano, yey. Para quem não sabe do que se trata, o twwd é um projeto realizado com mais cinco blogueiras maravilhosas que consiste em escolhermos uma peça básica todo o mês e mostrar seis maneiras diferentes de usá-la (se você quiser conhecer as postagens mais antigas desse projeto, clique aqui). Nesse mês, achar uma peça não foi fácil, mas acabou caindo como uma luva para esse verãozão dos diabos. A saia longa tem feito um sucesso absurdo e vou confessar que me encontrei nessa peça de roupa e no conforto e liberdade que a mesma me oferece. Além disso, como eu disse no outfit anterior (aqui), tenho estado numa vibe de usar muitas croppeds, o que resulta, sem dúvidas alguma, em um ootd super confortável e levinho para esse verão. Sem mais delongas, eu espero que vocês gostem.

Cropped: C&A / Saia: C&A / Bolsa: Hobby Job (compre comigo aqui) / Sapatilha: Moleca

Não deixem de conferir também os outfits das maravilhosas

OOTD: Black on Black

Depois de milênios, consegui tirar umas fotos pro blog. Essa é uma roupa que eu vesti ontem e que eu gostei demais - até porque, preto nem é minha cor preferida né, imagina. Queria uma coisa mais confortável, um tênisinho amor e uma blusinha de leve, tenho andado numa vibe muito cropped recentemente. A bolsa é um amorzinho que eu recebi da hobby job tem um tempinho e que sempre que eu posso, vou combinando com tudo. Sem mais delongas, espero que vocês gostem.


Cropped, Legging e óculos: Lojinha local / Tênis: All Star / Bolsa: Hobby Job
Acessórios: 25 de março (sp)

Maratona de Verão - 3 maneiras de usar shortinho jeans

Esse ano resolvi fazer algo especial aqui no blog e criei a maratona de verão, onde, a partir de hoje, eu vou fazer cinco posts semanais aqui no blog e liberar um vídeo aleatório por semana sobre sei lá, qualquer coisa. Vai ser um esforço imenso pra mim já que eu trabalho feito louca, porém o blog precisa mesmo de mais interação e postagens, já tava com saudade de vocês todos os dias.
Pra inaugurar a maratona que segue até o dia 21 de março, a postagem de hoje é sobre três maneiras de usar o shortinho jeans, peça que aparentemente julgamos como básica, mas que se tornou essencial nesse calor de 40 infernos que anda fazendo.


1- Basicão para o dia-a-dia
Se você me disser que usa salto alto e anda montadíssima como se fosse encontrar o amor da sua vida no próximo segundo no seu dia-a-dia, você está mentindo. Não existe nada como não querer saber sobre as obrigações de beleza da sociedade e colocar qualquer roupinha bonitinha e confortável pra ir tomar um café, dar um pulo no super mercado, comprar um cigarro ou levar seu cachorro pra passear. O basicão pro dia-a-dia é uma misturinha de short jeans + tshirt + chinelo-sandália-tênis confortável ou sapatilha. Geralmente a primeira coisa que aparece na sua frente quando você quer sair e não há nada melhor. 

2- Barzinho 
Parece casual demais para um barzinho, independente da hora que você vá para um. Acontece que não é. É despojado, confortável, estiloso e nem é preciso muito. Se estiver mais friozinho, uma jaquetinha ou blazer casam super bem. Caso continue esse forninho que a giovana não aguentou segurar, é possível investir em blusinhas de tecidos mais leves, regatas de renda, cropped de crochet e peças mais leves e neutras.

3- Trabalho
Se seu trabalho te permitir ir trabalhar de shorts e da maneira que você quiser, aproveite. Dá pra montar um outfit super casual e ao mesmo tempo super profissional. Só misturar com peças mais básicas e tomar cuidado para não extrapolar em nada, afinal, você está indo para seu ambiente de trabalho e não tomar água de coco na esquina.

Das coisas que eu sempre quis dizer (mas nunca disse)

Ia falar sobre você, mas lembrei que uma das minhas caixas pesadas nas costas era sobre tudo que eu quis dizer, mas nunca disse. Nunca disse como eu sou boba nas coisas, como eu levo tudo a sério e como até a migalha mais miserável que me derem é extremamente intensa pra mim. Nunca disse que eu gosto de dançar esquisito, que eu aprendi a não ligar para que os outros pensam de mim e que eu gosto de quem eu sou agora, apesar de tudo. Nunca disse que a vida é uma verdadeira porcaria, mas que de alguma forma eu consigo tirar um lado bom disso tudo. 
Quis dizer tanta coisa em voz alta, que agora eu só consigo gritar com todo o ar dos meus pulmões que eu não ligo mais, que eu misturo português com inglês and i don't give a shit, que eu sou a pessoa mais incrível que eu já conheci. Nunca disse como eu sempre quis parar de fumar, mas que eu adoro essa merda e de repente não quero mais, que eu torço todos os dias para ser mais razão que emoção.
Nunca disse que eu escuto todas essas músicas complicadas porque meu coração depende disso, que eu ando na rua procurando por qualquer coisa que me faça sentir viva, que até aquele ventinho detestável bagunçando meu cabelo ridículo é importante. Nunca disse que eu sou importante, e porra, eu sou. 
Nunca disse como eu choro loucamente assistindo filmes de mulherzinha, que meu gênero preferido é comédia romântica, que eu espero com todas as minhas forças não acabar sozinha na vida. Nunca disse o quanto eu tenho medo do frio do mundo, nem o quanto eu estou apavorada com todo esse inverno dentro de mim. Nunca disse que você nunca vai conhecer uma vadia tão louca feito eu - e que azar o seu -, que eu confundo os sentimentos e eu quase não gosto de ninguém. Nunca disse que acho meio mundo chato e que eu preciso me sentir conectada a qualquer coisa. Nunca disse o quanto esse nó na minha garganta doeu por meses e agora não dói mais. Nem importa mais. Nunca disse que eu roo as unhas pra não me corroer inteira, que eu me doo por completo e que o meu mundo é uma bagunça. 
Das coisas que eu sempre quis dizer, mas nunca disse, a principal delas provavelmente é que eu estou completamente perdida nas minhas próprias confusões, que eu espero menos das pessoas - e isso não quer dizer que eu não espero nada delas, porque eu ainda espero -, que eu odeio o quanto vivem mentindo pra mim, que a casquinha do meu machucado secou e caiu, que eu ainda sou apaixonada pela mesma pessoa e qualquer outra jamais mexerá nem com a minha unha do mindinho como esse alguém mexia com todo o meu ser. E antes que eu me esqueça, queria falar sobre todos vocês, porque eu me sinto totalmente desapontada pelo o que o mundo me apresentou. Porque vocês são incapazes de fazer a minha vida melhor, se nem sabem onde estão agora. E eu espero que vocês descubram e parem de estragar as coisas. Eu espero que vocês descubram que a magia das coisas está na verdade dita, mesmo que esta seja dolorosa à primeira vista. Espero que as coisas deem certo para todos nós, porque tretas happen, o que eu posso fazer?

Essa é uma blogagem coletiva do RotaRoots.

Golden Tattoos

2015 começou com umas tendências que se destacaram no mês passado, e uma delas é definitivamente as golden tattoos (ou, traduzindo, tatuagens douradas). Elas consistem em tatuagens temporárias que duram cerca de um mês, como se fosse uma henna que viesse no chiclete. 


São acessórios que, na minha opinião, são bastante chamativos, porém ainda sim muito delicados. Não tem restrição para ser usado, tanto em quesito de quantidade como em cor de pele - mesmo eu achando que peles mais bronzeadas/negras destacam-se melhor. É importante apenas ter bom senso na hora de combinar as tatuagens. Entretanto, ainda é uma trend muito cara (pelo menos eu não daria no mínimo R$125 em algumas tatuagens), o que torna um pouco inacessível até o momento. Também achei que são acessórios de pele com um estilo meio beach, meio boho. 

Se você quer gastar os olhos da cara e comprar - porque você provavelmente pode -, você pode entrar nesse site. Se você quiser ver mais fotos de inspiração, clique aqui.

4 trends que devem ser esquecidas em 2015

Fiz essa mesma postagem no ano passado e achei bem legal fazer nesse também. Muita coisa mudou de lá pra cá, algumas das trends acabaram se tornando super bem aceitas pra mim, outras continuaram no livro negro da vida. 2014 foi um ano de muitas trends, estampas, cortes, e acho que não dá pra fingir que eu gostei de tudo, porque eu definitivamente não gostei. Vou listar hoje as quatro principais coisas que eu acho que não deveriam continuar sendo trends. 
/

Se você quer conferir a postagem do ano passado, clique aqui.
Se você quer conferir o vídeo novo que eu postei no canal, respondendo dúvidas sobre o meu cabelo, clique aqui.
Acho que minha antipatia com essa trend vem desde os sneakers, dos quais eu já odiava. Eu tenho All Star desde que me entendo por gente, gosto da praticidade do tênis, do modelinho, do conforto... mas odeio o salto.

As Birkenstocks - ou, na minha época, sandálias de jesus - definitivamente dominaram 2014. Elas me lembram as sandálias que usei na infância, ortopédicas, feias, marrom-bege cor de nada. Eu entendo que vocês prezem pelo conforto, mas acho feio, pra mim é tipo ir e usar crocs.

Já falei sobre como eu nunca usaria essa trend por aqui antes, mas vale reforçar que espero que nesse ano eu não veja muitas dessas peças por aí. Bolsas, saias, vestidos, blusas e até bikinis de franjas, acho tão J-Lo anos 2000.

Essa aqui foi o cúmulo do meu ano que passou. Desacreditei quando vi, até quis fazer uma postagem sobre isso e não tive tempo. A saia calça é feia em todas as dimensões, desde aquelas que a saia é mais justinha, até essa onde acrescentaram babados no negócio. Que a moda fitness esse ano crie bom gosto, amém.

O que eu aprendi tendo um blog - Dicas

Já é 2015 e, apesar de já ter algumas ideias sobre as primeiras postagens desse ano, eu resolvi atender aos pedidos de um amigo que quer começar um blog e contar o que eu aprendi tendo o meu (que completa 3 anos esse ano). Quero deixar claro antes de prosseguir com essa postagem que, as coisas que contarei partem apenas da minha experiência e opinião pessoal de alguém que também visita outros blogs frequentemente, então o que funciona para mim, pode não funcionar para você.

1- Layout
Parece fácil criar um blog quando já se vê tantos outros com os layouts prontos, postagens alinhadas, pluggins instalados. Não é. Os temas prontos da plataforma que você escolhe precisam ser alterados, e se você não tem noção nenhuma de html como eu não tinha, então você vai precisar aprender. Não aconselho ninguém a comprar um layout de primeira, principalmente porque esse é um investimento que, na maioria das vezes pode não compensar tanto pra você (explicarei isso nos próximos itens). Recomendo mesmo que você separe um tempo, um bom tempo, para brincar de google e pesquisar tutoriais simples de html para blogs iniciantes. Também aconselho a não fazer nada extravagante demais, porque pelo menos eu adoro layouts mais clean, simples, minimalistas. Acho que um blog chamativo demais acaba tirando o foco do que você está escrevendo para coisas que definitivamente não importam. Além do que, se eu ver uma letra verde cintilante num fundo rosa choque, eu nem vou ler, porque provavelmente estarei preocupada se estou cega ou se meu grau de miopia aumentou com tanta luminosidade.

2- Escrita Correta
Sei que ninguém aqui é dicionário, professor de português ou zica da gramática para escrever tudo corretamente, mas é preciso se esforçar um pouco. Eu leio e releio minhas postagens várias vezes, sei que sempre vou deixar escorregar uma vírgula ou uma palavra escrita errada, mas prezo demais pela coerência do que escrevo. Uma das coisas que mais me irritam é eu ter de me esforçar para compreender o que a pessoa tenta dizer, porque ela não escreve com clareza ou escreve tudo tão errado e sem pontuação que preciso ler e reler até juntar as palavras em seu respectivo tempo. 

3- Paciência
Os resultados de um blog vem em parcelas. Tudo bem em criar um blog esperando receber coisas, porque só quem tem um sabe o trabalho que leva cada postagem, cada público conquistado, cada perrengue para manter uma parceria. Nunca crie um blog esperando que um mês depois sua casa esteja repleta de pacotes do correios, porque não estará. Escreva para si mesmo, depois escreva para os outros. O resultado do que você escreve vem aos poucos, mas quando finalmente chega, a satisfação é imensa. 

4- Não suborne pelos seus seguidores
Não ofereça likes, follows e esses tipos de subornos para conquistar seguidores - até porque, isso não seria uma conquista. Seguidores fantasmas te rendem números, mas jamais te renderão um público de verdade. Quantas vezes você já viu um blog com 1k de seguidores e 0 comentários a cada postagem? Procure por pessoas que realmente se interessem pelas suas postagens, mesmo que estas não comentem, a visita delas será essencial para você.  Encontre seguidores que sejam presentes, porque você só consegue manter um blog graças as pessoas que participam dele.

5- Escreva sobre o que você quiser
Polemize se quiser. Não crie tabus e nem tenha pudores para dizer o que você deseja. O blog é, antes de mais nada, algo pessoal seu. Escreva para si mesmo primeiro, quem gostar do que está ali faz parte apenas da consequência de se ter escrito. Não se prenda no fato de você ter um blog com um tema em especial, caso você deseje vez ou outra escrever sobre algo totalmente fora da caixa. Expresse sua opinião, argumente com tudo o que você tem, coloque sua personalidade em todas as frestas que você puder.  

Shoulder Chain

Depois da vibe dos body chain, a moda reinventou mais uma vez e criou o que - ainda não se sabe se pode ser - tem chances de se tornar uma nova tendência: os shoulder chain. Também podem ser chamados de necklaces for the shoulders, traduzindo, colares para os ombros. 
São, como o próprio nome já diz, feitos de correntes, como colares mesmo. Podem ocupar apenas a área dos ombros, como também um pedaço dos braços, o tórax, etc. Existem diversos modelos diferentes e, caso você queira aderir, eles variam de estilos mais girly até os mais bohos. Alguns deles vem com apetrechos mais trabalhados, como pedras, spikes e até penas. Posso dizer que, mais do que o body chain, o shoulder chain ganhou o meu coração por completo, ainda mais nesse calor, onde os ombros ficam grande parte do tempo expostos.

Se você quer conferir o resultado do Sorteio em parceria com a Hobby Job, clique aqui.

Wishlist de Natal

Véspera de Natal e eu aqui fazendo wishlist. Como eu já me dei uma tatuagem de presente, não custa nada deixar registrado outras coisas das quais eu gostaria de ganhar (ou me dar) se eu pudesse, certo? Escolhi 3 lojas e dividi nas sessões: Para Casa, roupas e acessórios - já que agora eu moro sozinha e não consegui decorar nem um pouquinho ainda. De resto, eu só quero desejar um Feliz Natal a todo mundo que acompanha o blog, comentando ou não, e dizer que fico super satisfeita de esse ser mais um natal em que eu posso compartilhar coisas com vocês. 


http://chicorei.com
http://www.acessoriosparameninas.com.br/
https://www.facebook.com/pages/Hobby-job/313014848882999

(Para acessar às lojas, basta clicar nas imagens)

Se você não ganhou nada até agora, aproveita porque hoje é o último dia do nosso Sorteio de Natal, em parceria com a Hobby Job, e você pode ganhar uma dessas 3 bolsas lindas à sua escolha. Clica na imagem e participa.
https://www.facebook.com/357682434345817/photos/a.357713847676009.1073741828.357682434345817/682572571856800/?type=1